Digite seu e-mail!
Fernanda Marques>News

News

Cardápio dos adolescentes


Um estudo que envolveu 812 adolescentes com idades entre 12 a 19 anos constatou: somente 6,4% deles consomem mais de 400g por dia de frutas, legumes e verduras – valor mínimo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Dos entrevistados pelos pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, 22% não comeram sequer um vegetal no dia da avaliação.
“A adolescência trata-se de uma fase de grande vulnerabilidade para o desenvolvimento de distúrbios nutricionais”, comenta a nutricionista da Medicina Preventiva da Unimed Nordeste-RS Darlin Sperling. “Isso se deve ao aumento das necessidades de nutrientes específicos, decorrente da aceleração do ritmo de crescimento, do desenvolvimento puberal e das modificações na composição corpórea, assim como pela presença de hábitos alimentares inadequados, bastante comuns neste período,” complementa.
Na infância, conforme ela, inicia-se o período de maior acúmulo de massa óssea, que perdurará até os 25, 30 anos de idade. Contudo, observa-se também que os adolescentes não fazem todas as refeições, especialmente o café da manhã. “A redução de ingestão de leite deve ser monitorada para que não haja comprometimento do suprimento de cálcio, necessário à formação óssea”, diz.
Com o consumo de alimentos industrializados e ricos em gordura em ascensão nesta faixa etária, em associação à redução da atividade física e do lazer, ocorre atualmente um processo denominado transição nutricional, caracterizado pelo aumento da prevalência da obesidade.
Exemplos disso não faltam. Os refrescos, por exemplo, estão substituindo o leite, a água e os sucos de frutas. “Essas bebidas, engarrafadas ou enlatadas, prontas para o consumo, com gás, vêm adoçadas com sacarose ou elevados teores de frutose, xarope de milho ou edulcorantes intensos”, explica Darlin. “O consumo exagerado dessas bebidas preocupa: obesidade, cáries e triglicerídeos e colesterol elevados encontram-se entre as consequências nutricionais”, complementa.
Como formar hábitos alimentares saudáveis
•    Para se reeducar, é importante que toda sua família mude os hábitos alimentares.
•    Evite a substituição de refeições por lanches.
•    Opte por nutrientes em quantidade e qualidade adequadas ao crescimento, ao desenvolvimento e à prática de atividades físicas em cada faixa etária.
•    Varie a alimentação: inclua no cardápio todos os grupos alimentares (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais).
•    Evite o consumo de refrigerantes, balas e outras guloseimas.
•    Consuma diariamente frutas, verduras e legumes – ótimas fontes de calorias, minerais, vitaminas e fibras.
•    Coloque no prato, no mínimo uma vez por semana, algum tipo de peixe.
•    Controle a ingestão de sal, para prevenir a hipertensão arterial.
•    Estimule a prática de atividades físicas.
•    Reduza o tempo gasto com atividades sedentárias (TV, videogame e computador).